OS GRANDES ERROS NA NOSSA ALIMENTAÇÃO

 

fig2.jpg (39560 bytes)

Não existe qualquer dúvida em se concluir que se come...

1-...Com muita frequência

2-...Em grande quantidade

3-...Muito rapidamente

4-...Com grande variedade de coisas na mesma refeição

5-...Alimentos muito cozidos,fritos ou assados

6-...Excesso de proteínas de origem animal e de matérias gordas

7-...Alimentos frescos em quantidade reduzida e que contenham  o seu valor nutritivo

 

 

doctor2.gif (2237 bytes) 1- Come-se com muita frequência

Na maior parte dos casos, o simples facto do alimento ser apresentado de maneira atraente, e logo quando entra na boca, provoca no nosso organismo um fenómeno reflexo independente da nossa vontade e que faz activar os primeiros mecanismos da digestão. As glândulas salivares entram em actividade, transformando os hidratos de carbono em açucar de amido, enquanto o suco gástrico prossegue a actividade de degradação dos alimentos atravás das inúmeras glândulas do estômago, cujos músculos activam-se para os triturar antes da sua progressão no próprio aparelho digestivo.

É muito importante saber-se quanto tempo ficam no estômago os vários tipos de alimentos que ingerimos:

DE 1 A 2 HORAS - Água, Chá, Café, Cacau, Ovos, Leite....

DE 2 A 3 HORAS - Ovo cozido, Peixes, Pão, Saladas verdes, Batatas, Leite fervido....

DE 3 A 4 HORAS - Arroz, Açucar, Carne em geral.....

DE 4 A 5 HORAS - Carnes fumadas, Alimentos com muita gordura, Legumes em cru.....

DE 5 A 8 HORAS - Sardinhas, Enchidos, Carnes com grande teor de gordura....

Como podemos verificar, o processo de digestão dura períodos diversos e a lição que devemos tirar de tudo isto, é a da necessidade  de nos esforçarmos por deixar um certo tempo livre para que os mecanismos do estômago possam preparar devidamente a melhor assimilação dos alimentos, pois há ainda que ter atenção toda a complexa intervenção dos sucos de natureza química, que são, ao fim e ao cabo, os principais intervenientes do processo final da digestão.

O tempo total em que os alimentos estão no organismo, ( até à sua completa eliminação ) pode durar de 21 a 26 horas e, logo de início, o sangue mobiliza-se quase na sua totalidade para cooperar na assimilação alimentar. Os glóbulos brancos controlam a chegada dos alimentos ao tubo digestivo e, por sua vez, os vermelhos asseguram o respectivo transporte, assim como do oxigénio, sendo os resíduos do metabolismo celular dirigidos para os rins, fígado, e mesmo para os pulmões, sob a forma gasosa.

 

doctor2.gif (2237 bytes) 2 - Come-se em grande quantidade

STOP ao excesso alimentar, cujas consequências mais visíveis é a obesidade. Hoje , na nossa sociedade, come-se não necessariamente por termos fome, mas porque são horas do pequeno almoço, almoço ou jantar...

Tudo isto parece correcto. Porém, como já várias vezes foi dito, a absorção dos alimentos tem como finalidade produzir calor e energia, que irão estimular o crescimento e activar-nos para a vida diária. Por outras palavras: a absorção dos alimentos deveria, sempre que possível, corresponder às necessidades energéticas detectadas pelo nosso organismo. Se há excesso, ele está preparado para fazer um certo armazenamento, que pode ser bastante útil, ou para eliminá-lo, se notar que ele pode ser prejudicial ao seu funcionamento.

No quadro que apresento em baixo, pode-se ver, quais as necessidades calóricas de um adulto em função das suas características morfológicas.

( Em Calorias )

Peso Trabalho Violento Trabalho médio     Trabalho leve       
50 2500 1850 1600
55 2750 2050 1800
60 3000 2250 1950
65 3250 2400 2100
70 3500 1600 2250
75 3750 2800 2400
80 4000 3000 2600
85 4250 3150 2750

( Quadro: *Estudo da Associação Alemã para a Alimentação )

Muito cuidado com os alimentos " atractivos " devido ao seu aspecto, tais como bolos com e sem creme, gelados etc..., que nos fazem cair num processo de obesidade, fazendo circular no organismo quantidades de matérias de alto valor nutritivo mas de inutilidade total. O fígado deveria "queimá-las" e os rins "eliminá-las" por completo. Porém , tudo é impotente perante tal avalanche de alimentos, e enquanto isto, a obesidade começa a alastrar!

 

doctor2.gif (2237 bytes) 3 - Come-se muito rapidamente

Aqui está um dos maiores erros e dos mais frequentes que cometemos, que vai sobrecarregar de maneira considerável os orgãos digestivos. Os alimentos devem ser completamente triturados, daí termos uma dentição apropriada para isso e constituida por dentes: incisivos,caninos e molares.

Se nos alimentarmos de forma brusca e rápida, a primeira fase natural do processo de digestão é claramente retardada, pois os hidratos de carbono são empurrados para o estômago sem que antes tenham sido "atacados" pela saliva. Tal situação vai provocar uma sobrecarga das glândulas do estômago, que, desta forma, são obrigadas a um trabalho suplementar para reduzir os alimentos em finas partículas.

 

doctor2.gif (2237 bytes) 4 - Come-se grande variedade de coisas na mesma refeição

Aqui devemos ter em atenção o que se referiu no 1º ponto, compreendendo-se assim , como é prejudicial absorver na mesma refeição alimentos que vão ficar no estômago de 1 a 8 horas. A longo prazo um estômago que seja obrigado a suportar um trabalho tão esgotante, não poderá segregar os sucos gástricos necessários. Portanto, os alimentos não podem ficar  suficientemente "tratados", ficando a fermentar durante mais tempo, em virtude da falta de sucos digestivos. Cria-se assim um terreno propício a possíveis doenças do estômago.

 

doctor2.gif (2237 bytes) 5 - Comem-se alimentos muito cozidos, fritos ou assados

Cozer, fritar ou assar muito os alimentos, é tirar-lhe e destruir-lhe as vitaminas, proteínas, fermentos ou enzimas, assim como a redução dos teores de sais minerais ou da frescura dos vegetais, devido a processos de fotosíntese.

A perda em valor nutritivo é algo de constante quando se cozinha. Todo o tratamento pelo lume equivale a um empobrecimento de alimentos preciosos e de alimentos vitais primitivos. Quando é aconselhável preparar os alimentos através do calor, como,   por exemplo, as batatas ou os produtos à base de cereais, torna-se necessário prepará-los antecipadamente, tal como cozer as batatas com pele ( já que as matérias minerais, a vitamina c e os prótidos encontram-se directamente na própria pele ), os cereais , atrvés de uma ligeira fervura.

 

doctor2.gif (2237 bytes) 6 - Come-se um excesso de proteínas de origem animal e matérias gordas

A albumina, ou seja, as proteínas e os seus ácidos aminados, constituem uma necessidade para o corpo humano, mas em nenhum caso as proteínas deverão ser exclusivamente de origem animal.

Dos 26 ácidos aminados que constituem a albumina animal, o homem apenas utiliza 11. Os outros, são fabricados através de processos próprios da condição humana. A quantidade necessária para as suas actividades diárias  é de 30 a 40 gramas e pode obtê-las a partir das proteínas das plantas e ocasionalmente as  contidas no leite, no queijo e outros produtos derivados do leite.

Todo o excesso da quantidade anterior indicada, irá provocar uma obstrução da circulação vascular e sobrecarregar o fígado, acarretando, igualmente, uma inútil hipertermia do organismo, para já não citarmos a formação de produtos tóxicos ao nível dos intestinos.

Quanto às matérias gordas, o mais significativo prende-se com dificuldades na circulação sanguínea e na fadiga do coração.

 

doctor2.gif (2237 bytes) 7 - Comem-se poucos alimentos frescos

Todos sabemos o valor biológico e nutritivo dos alimentos comidos frescos.

Com a evolução da humanidade, e a uma vida diária cada vez mais ocupada a que somos obrigados, os produtos enlatados e congelados fazem parte da nossa alimentação, não nos dando por vezes qualquer valor alimentar.

Optar pela fruta, legumes, cereais, será o caminho mais correcto.

É um grande erro, acreditar que um lanche ou um pequeno almoço rico e abundante, capaz de encher o estômago, constitui factor fundamental para qualquer atleta ficar apto a melhorar o seu rendimento desportivo.

NÃO DEIXE DE VER O SITE DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE CARDIOLOGIA